“Solstício” de Bruno de Amorim em exposição até 31 de outubro no Espaço Contra a Parede

Obra Mari lwyd do artista Bruno de Amorim

A exposição “Solstício”, com 17 trabalhos inéditos do artista Bruno de Amorim no Espaço ContraParede, da Barber Shop (Av. Independência, 747), em Porto Alegre / RS, seguirá aberta para visitação ao público até o dia 31 de outubro de 2017, de segunda a sábado, das 09h às 20h. Mais informações: (51) 3311.4323.

Solsticio Artista Bruno de Amorim

Solstício
Solstício é um acontecimento astronômico que determina o início do Verão ou do Inverno. É a época do ano em que o Sol incide com maior intensidade em um dos dois hemisférios, portanto são os períodos em que a Terra é iluminada de maneira desigual. Mais sol e menos sol, mais luminosidade e menos luminosidade natural, o que trouxe a muitas culturas a sacralização destes eventos, visto que sugere o surgimento de elementos que oriundos das sombras e da luz.

Na exposição Solstícios, o artista busca referências em tradições ancestrais do hemisfério norte, onde até hoje existe um caráter mágico desta crença, especialmente no evento Mummers’ Plays*.

“Os desenhos e aguadas, trazidos por Bruno, são alguns destes personagens, trabalhados a partir da recriação deste ambiente fantástico, explorando a luz e a sombra de forma particular, não somente como linguagem natural do desenho, mas buscando uma atmosfera mágica e dramática para os personagens”, comenta a curadora da exposição, Helenice Porcella.

Artista Bruno de Amorim

O artista
Formado em Ciências Biológicas pela UFRGS, com Mestrado em Paleontologia, Cursos de Desenho Livre e Digital no Brasil e no Exterior, frequenta o Curso de Desenho Livre no Atelier Livre de Porto Alegre desde 2012. Participou de Exposições Coletivas em Ota/Japão, na Ilha da Madeira/Portugal, Espaço CEEE em Porto Alegre/RS, entre outros.

*Mummers’ Plays: Peças teatrais do folclore britânico, comumente encenadas nas ruas ou dentro de pubs, e considera-se que possam existir à mais de mil anos, tendo conexões com antigos rituais pagãos. Ocorrem na época do natal, também época do solstício de inverno, e simbolizam a batalha do bem contra o mal, assim como o renascimento de dias mais longos que trarão a primavera, após o frio severo. Os participantes, ao caracterizarem-se como seus respectivos personagens, passam também a encarná-los, de modo que essas entidades passam a ser responsáveis por suas ações.

-- --